O estoque do Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) está no vermelho. Segundo a administração do BLH, em junho foram coletados apenas 139 litros, enquanto a média mensal do banco é de 200 a 220 litros. Prestes a acontecer a Semana Mundial de Amamentação (1 a 7 de agosto), o HC aproveita para lembrar às mães a importância da dessa doação.

De acordo com Celestina Grazziotin, chefe do serviço do BLH, a redução do estoque pode ter sido causada pela época. “Constatamos um aumento no consumo de leite por parte dos recém-nascidos. A razão disso pode ser o inverno”, diz. A média de visitas também foi menor. Segundo ela, a queda foi de 15 doadoras por dia para cinco, em média.

Para doar é preciso que a mãe esteja apta a amamentar seu filho. “Além disso é essencial ter feito o pré-natal e não ter doenças graves. Mulheres que fumam ou estão em tratamento com medicação não podem doar por conta da fragilidade dos recém nascidos”, alerta Grazziotin.

O leite pode ser buscado pela equipe do HC na casa das doadoras, previamente cadastradas, que morarem em Curitiba, ou nas regiões próximas à capital de cidades como Pinhais, Colombo e São José dos Pinhais. Diariamente o BLH capta, processa, pasteuriza e armazena o leite materno, que depois é disponibilizado para o aleitamento de recém-nascidos. “Doo porque faz bem para a minha saúde e ajuda crianças com problemas de amamentação. É muito tranquilo e gratificante”, afirmou a doadora Cleuseli Ribas dos Santos.