Do Atuba ao Pinheirinho tem pouca sinalização.

Quem chega a Curitiba pela BR-476 (antiga BR-116), que vai do bairro Atuba ao Pinheirinho, geralmente tem dificuldades para entrar na cidade. A falta de placas de sinalização que indiquem ruas de acesso aos bairros faz com que muitos turistas se confundam e acabem se perdendo.

Quem vem de São Paulo consegue visualizar facilmente as ruas de acesso, mas ao optar em entrar em uma delas não consegue saber ao certo em que região da cidade se encontra. Para quem vem de Santa Catarina, a situação é ainda mais complicada: o número de acessos é pequeno, em todos a sinalização é precária e os retornos são distantes. “É uma vergonha que em uma cidade turística como Curitiba as pessoas que venham de fora encontrem dificuldades para entrar”, comenta o motorista de veículos de turismo, Cirilo Abreu. “Quem trabalha com turismo costuma reclamar bastante”, completa.

O motorista de caminhão Pedro Paes da Silva conta que só não se perde por já conhecer bem a BR-476. “Quem não está familiarizado com a rodovia se confunde. Passo sempre pelo local e é muito comum encontrar motoristas parados, pedindo informações a taxistas e em estabelecimentos comerciais”. O montador Élcio Ribeiro Vieira, que trabalha em um autovidros localizado às margens da estrada, confirma que diariamente muitas pessoas perdidas param no local para pedir informações. Segundo ele, não são apenas os turistas que encontram dificuldades. Os próprios moradores de Curitiba que se aventuram pela 476 e não conhecem bem o lugar costumam se perder. “Todos os dias, no mínimo dez pessoas param para perguntar onde fica a rua de acesso à cidade. Quem vem de Santa Catarina e passa o acesso precisa rodar vários quilômetros para achar outra rua de entrada ou um retorno. É bem complicado”, diz Élcio.

Dnit

O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) informou, através de sua assessoria de imprensa, que está prevista para o próximo dia 3 a assinatura de um documento que irá passar a responsabilidade pela BR-476 à Prefeitura de Curitiba. “Caso isso não aconteça, o Dnit pretende elaborar um projeto de restauração da rodovia. Nele estão incluídas melhorias na sinalização”.