Curitiba sedia, no próximo final de semana, a reunião de lançamento das conferências regionais da Cúpula Mundial da Família +10, comemorativa ao décimo aniversário do Ano Internacional da Família, 1994. O evento é administrado pela Organização Mundial da Família (OMF), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), e pretende construir uma agenda para ser discutida nas conferências, onde surgirá um relatório para ser debatido na cúpula em novembro de 2004, em Paris, França.

A primeira conferência regional acontece em outubro próximo, no México, contando com a participação dos países da América Latina e Caribe. A presidente da OMF, a brasileira Deisi Noeli Weber Kusztra, explicou que a organização surgiu em 1947, no pós-guerra. O objetivo era reunir as famílias separadas pela guerra e apresentar propostas de desenvolvimento para a reconstrução da Europa. Inicialmente a organização contava com a participação de 27 países. A única fundadora da OMF ainda viva é a grega Helene Zographos. Ela já está em Curitiba e participará do evento que acontecerá no Parque Barigüi.

Deisi salientou que a família é a única possibilidade viável de transmissão de culturas, tradições, religiões, e principalmente paz. Ela explicou que o encontro servirá para debater os avanços alcançados desde 1994. “Queremos criar um conceito global para o desenvolvimento através da família, mas nunca esquecendo das realidades e das formas de organização das famílias de diversos modos em todo o mundo”, salientou, colocando a posição da OMF, que encara e aceita a família nas diversas concepções como ela aparece no planeta. “O muçulmano por exemplo é poligâmico, já o ocidental é monogâmico. As famílias são compostas de formas diferentes, temos sempre que levar em consideração essas diferenças para se criar um modelo de desenvolvimento”, assinalou.