Continua a angústia da família do maringaense Oscar Kodama, que faleceu no início do mês em Paris após passar mal no vôo que o levaria para o Japão. Os parentes receberam a notificação da liberação do corpo, o traslado já foi pago, mas a família ainda não sabe a data exata da chegada do corpo de Oscar no Brasil.

Gustavo Kodama, irmão de Oscar, conta que recebeu do Itamaraty o aviso de liberação do corpo na sexta-feira passada. Na segunda-feira seguinte, a família pagou todas as despesas para o transporte do corpo de Paris até São Paulo. “Mas ainda estamos aguardando. Não nos informaram a data que vem para o Brasil”, afirma.

O outro irmão de Oscar, Vagner Kodama, vai viajar para a França para averiguar o que realmente aconteceu com o maringaense. Oscar viajava para o Japão, onde havia conseguido um emprego.

Na escala que fez em Paris, para pegar um vôo de conexão, Oscar chegou a entrar no avião que iria para Tóquio. No entanto, passou mal enquanto a aeronave taxiava na pista.

O passageiro teria sido encaminhado ao Centro Médico do Aeroporto Charles de Gaulle e, no dia seguinte, tentado embarcar novamente para Tóquio. O comportamento de Oscar causou desconfiança entre os funcionários da empresa áerea.

O maringaense teria sido levado novamente ao centro médico, que por sua vez teria dado a orientação de chamar a polícia. Oscar morreu enquanto era levado para um hospital. O laudo da autópsia revela que Oscar, de 28 anos, sofreu uma embolia pulmonar. A família esclarece que o maringaense não tinha qualquer problema de saúde.

“Meu outro irmão vai para Paris para ver o que realmente aconteceu. Mas ele viaja somente depois que o corpo chegar no Brasil, para evitar qualquer desencontro”, declara Gustavo.