O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Rafael Greca, entregou neste final de semana, em Toledo, região Oeste do Estado, as chaves de 24 casas do conjunto residencial Santa Clara, destinado a famílias de baixa renda, na modalidade caução. O investimento do Governo do Paraná e da Cohapar foi de R$ 336,1 mil.

“Temos aqui uma família que havia sido despejada recentemente. É uma família que vive seu momento de grande felicidade e já está de mudança para a casa nova. Agora o problema acabou. Aqui começa uma nova vida num lar que deve ser usado com amor e alegria”, disse Greca.

“É assim que estamos fazendo em todo o Paraná, onde temos cerca de 11 mil novas moradias sendo construídas, e o governador Requião quer que nossa meta atinja as 14 mil unidades. A Cohapar é um instituto de desenvolvimento humano. Fazemos casas para melhorar a qualidade de vida das pessoas que mais precisam, como é o caso da família que foi despejada dias antes de ter a sua própria moradia”, comentou o presidente da Cohapar.

Obras

No mesmo dia, Greca fez o lançamento do início de obras para mais três empreendimentos em Assis Chateaubriand, Palotina e Maripá. Além dessas, começaram também as obras em Vera Cruz do Oeste e Braganey, todas no Oeste do Paraná. Os cinco empreendimentos juntos somam 230 novas moradias, num investimento de mais de R$ 6,3 milhões, beneficiando 1.200 pessoas.

O gerente-geral da Caixa Econômica Federal de Toledo, Celso Loh, ressaltou a importância da parceria com o poder público municipal e a Companhia de Habitação do Paraná. “A Cohapar, com quem temos realizado a construção de milhares de casas em todo o Estado, vem dando alegria para muitas famílias. Sem essa parceria não estaria sendo possível fazer esse volume de moradias”.

O prefeito de Toledo, José Carlos Schiavinato, agradeceu o Governo do Paraná, que, por meio da Cohapar, está ajudando o desenvolvimento habitacional da cidade. “Todas as ações dessa parceria estão viabilizando a habitação para nossa comunidade. É um momento de felicidade em família, que nos deixa satisfeitos por estarmos podendo realizar esse sonho”.

Vida nova

Despejados da casa onde viviam, poucos dias antes de receber a chave da casa própria, o casal Francisco Pereira e Andrade, 43 anos, e Maria Aparecida, 25, com três filhos, Paulo Henrique, 8; Alison, 5; e Maira, 2; conseguiu abrigo na casa de amigos. As refeições eram feitas em um restaurante popular mantido pela prefeitura, que cobra R$ 1,50 a refeição.

“O sofrimento terminou, agora é começar vida nova. Fiquei desesperado, mas tinha a certeza que seria por poucos dias. Essa certeza me deu forças de esperar o dia de hoje, para pegar a chave, e poder entrar logo na nossa casa”, conta Francisco. “Aqui minha família está protegida e segura. Isso é que importa”.

Um dos filhos, Paulo Henrique, comemorou junto com a família. “Vamos viver direito numa casa que vai ser bem-arrumada, com chuveiro quentinho, e que vai ser nossa”. A mudança foi feita pela família na mesma hora que receberam as chaves, por um caminhão cedido pela prefeitura.

Dona Janete Cristina, ficou emocionada. “Só quem passa pelas dificuldades de não ter onde morar, sabe da alegria de um momento como este. Se não fosse esse governo olhar pelos mais pobres, a gente não estaria tendo uma oportunidade como essa. Agora sei que posso dormir em paz, no que é meu”.