Um grupo de mães protestou na manhã desta quarta-feira (2) contra o fechamento de vagas para crianças de 0 a 2 anos nas creches públicas de Curitiba – os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). A manifestação aconteceu em frente à Câmara Municipal da cidade. “Vai vencer a minha licença-maternidade e não tenho onde deixar meu bebê”, relatou Cibele Santos, moradora do Sítio Cercado, em nome das manifestantes.

“O Sismuc (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba) foi procurado pelas mães no fim de 2015, com a notícia do fechamento de turmas de berçário”, explicou Soraya Zgoda, coordenadora de comunicação do sindicato. “Nós, do Sismuc, e as mães, entendemos que é retrocesso. Deveríamos ampliar as vagas”, defendeu Soraya. O sindicato aponta que 47 turmas de berçário foram fechadas, reduzindo o total de 245 para 198.

As mães e o Sismuc (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba) expuseram suas queixas em plenário e obtiveram, com a mediação da Comissão de Educação do Legislativo, a garantia de uma reunião com a Secretaria Municipal de Educação (SME) na próxima sexta-feira (4), às 14 horas. “Faremos tudo que estiver ao nosso alcance para resolver o problema”, prometeu Jonny Stica (PT), recém-eleito presidente da comissão.

“Está garantida a presença, nesta reunião, de representante das mães, do sindicato, do Conselho Municipal de Educação e do Executivo. A Comissão de Educação estará lá, e a presidente de Serviço Público, Julieta Reis (DEM), também”, confirmou Stica. Além dos manifestantes, foi aberta a palavra à assessora técnica da superintendência da SME, Cláudia Almiro. Ela confirmou a abertura de novos CMEIs em Curitiba, com aumento das vagas de berçário.