Passar no vestibular nem sempre significa estar bem resolvido em relação ao futuro profissional. O estudante Bruno Fritzen, 18 anos, é um exemplo disso. Ele passou em primeiro lugar geral no vestibular 2002 da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Contudo, descobriu que essa não era sua vocação e pretende se transferir para o curso de Medicina. Histórias como essa são comuns. Para evitar mais casos como esse, a UFPR está realizando esta semana a Feira de Cursos e Profissões. O evento vai de hoje até domingo, no campus do Jardim Botânico, na Avenida Prefeito Lothário Meissner, 3.400.

Nos estandes dos 48 cursos oferecidos pela Federal serão demonstradas atividades da profissão, e professores e alunos esclarecerão dúvidas. Nos três dias haverá 89 palestras com profissionais que já atuam no mercado. Os estudantes poderão participar de um tour por seis das sedes da UFPR. Para participar, basta se inscrever gratuitamente no próprio campus. A expectativa é que 20 mil pessoas passem pela feira.

Prejuízo

Conforme o reitor da UFPR, Carlos Augusto Moreira Júnior, o Brasil perde anualmente R$ 3 bilhões com evasão nas universidades federais. Cada aluno dá um custo médio anula de R$ 5 mil para União. Moreira lembrou que de cada cem alunos que ingressam numa universidade, tanto pública como privada, 35 desistem. “Um dos principais problemas é a falta de conhecimento do curso e da realidade da profissão. 30% dos estudantes escolhem o curso para que vão prestar vestibular no momento da inscrição”, revelou, destacando que quem participar da feira ganhará um guia de profissões com todos os cursos.