Motoristas que faziam a travessia de ferry boat Caiobá/Guaratuba nesta terça-feira (13) foram surpreendidos por uma falha técnica em uma das balsas utilizadas pela empresa BR Travessias. O problema deixou a embarcação à deriva por 45 minutos, deixando os motoristas apreensivos e incomodados.

Em nota a empresa afirmou que houve uma quebra no sistema hidráulico de uma das balsas. “O piloto parou, acionou o operacional e foi enviado um dos ferry boats pra rebocá-lo até a margem, para o desembarque dos veículos e a manutenção pelos mecânicos”, disse a assessoria da empresa.

O equipamento ficou parado por cerca de 45 minutos. “Durante a paralisação a operação prosseguiu com três ferry boats”, concluiu a empresa.

Desde que houve a troca da empresa responsável pela concessão os usuários têm demonstrado insatisfação com o serviço. A Tribuna mostrou ainda em abril a reclamação dos motoristas com o tempo de espera para efetuar a travessia, com filas que em dias comuns poderiam chegar a uma hora. A empresa chegou a ser acionada pelo Departamento de Estradas e Rodagem para presta esclarecimentos. A Prefeitura de Guaratuba também cobrou providências.

Por outro lado, a concessionária providenciou o serviço de pagamento com cartões de débito e crédito, pedido antigo dos usuários. Enquanto isso, a ponte que eliminaria a necessidade do ferry boat ainda não passa de um sonho antigo.

Balsa semelhante à que apresentou problemas. Foto: BR Travessias

O que diz a BR Travessias

Em nota, a empresa BR Travessivas Ltda infomou que vai cumprir com todas as exigências legais e que deve apresentar até às 17 horas desta sexta-feira (16) todos os documentos e informações solicitados.

“BR travessias informa ainda que está operando com os três ferrys boats, uma vez que uma das embarcações, interditada pela Marinha na última terça-feira, foi liberada após reparos e inspeção. Esclarece também que o rebocador San Belo continua em processo de manutenção. Após concluído o trabalho e a inspeção da Marinha, o equipamento voltará a operação, em conjunto com a balsa”, explica.

A empresa informo ainda que recebeu da concedente a posse e o uso de um conjunto de equipamentos: balsa e rebocador. “Neste momento as embarcações estão sendo submetidas a vistorias exigidas pelos órgãos fiscalizadores -DER e Capitania dos Portos. Estão sendo verificadas as condições de uso e de segurança. A empresa esclarece que está providenciado a contratação de um seguro para as embarcações que, na tarde de hoje, passarão por uma nova vistoria”, conclui.