O tempo parcialmente fechado não impediu que 80 mil pessoas acordassem cedo para assistir, ontem, ao desfile cívico de Sete de Setembro, realizado na Avenida Cândido de Abreu, em Curitiba.

Participaram do evento professores e estudantes de escolas públicas municipais e estaduais, integrantes da Guarda Mirim, da Polícia Militar, das Forças Armadas, da União dos Escoteiros do Brasil, Legião da Boa Vontade, entre outras entidades. Nas arquibancadas, o público agitava bandeiras do Brasil e do Paraná.

“A independência do Brasil precisa ser reconquistada e restabelecida todos os dias. Isto deve ser feito através da idealização e realização de políticas públicas em benefício da Nação. Produzindo alimentos, garantindo saúde, educação, água de qualidade e pureza do ar, trabalhamos para que cada pessoa conquiste sua independência individual, social e econômica. Isto se reverte em sentimento de patriotismo”, comentou o governador Orlando Pessuti, que ocupou o palanque principal do desfile.

Ao lado do governador, estava o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci. Ele definiu o Dia da Independência como um dia de festa para todos os brasileiros. Segundo a assessoria do prefeito, foi a primeira vez, em um período de oito anos, que o governador do Estado e o prefeito da capital participaram juntos do desfile.

“Sete de Setembro é um dos dias mais importantes para o nosso País. Fico feliz em ver tantas pessoas assistindo ao desfile, demonstrando espírito cívico e participando com gosto, vontade e cidadania”, declarou.

Sobre o fato de o patriotismo estar um pouco esquecido no dias atuais, muitas vezes sendo demonstrado por grande parte da população apenas em anos de Copa do Mundo de Futebol, o comandante da 5.ª Região Militar, general Ademar Machado Filho, disse que é preciso desenvolver o nacionalismo entre os jovens, tornando-os cidadãos melhores no futuro.

“Acredito que o patriotismo começa a ser ensinado nas escolas, através do culto aos heróis e aos nossos valores. No dia de hoje (ontem), temos uma ótima oportunidade de valorizar o que é nosso”, afirmou.

Também acreditando na formação patriótica dos jovens, a dona-de-casa Isabel Cristina Pedrozo levou os filhos Matheus, de 7 anos, e Laura, de 5, para assistir ao desfile.

As crianças estavam bastante animadas e ansiosas para ver, principalmente, os tanques do Exército e os carros do Corpo de Bombeiros. “É a primeira vez que trago meus filhos ao desfile, o que está sendo motivo de festa para eles. Acho importante que eles tenham conhecimento do que representou a Independência do Brasil e saibam valorizar a pátria”, disse.

Para que o desfile de Sete de Setembro pudesse acontecer, o tráfego normal de veículos na avenida Cândido de Abreu foi interrompido às 23 horas de segunda-feira.

Além disso, outros sessenta cruzamentos nos bairros Centro Cívico, Centro, Alto da Glória, São Francisco, Ahu e Juvevê foram fechados. A medida fez com que 67 linhas de ônibus da capital tivessem seus trajetos alterados.