Quem anda pela Boca Maldita, tradicional ponto do calçadão da Rua XV de Novembro, dificilmente deixará de encontrar um dos sósias mais célebres do cantor Roberto Carlos. Aos 72 anos, Luiz Carlos Chacon de Oliveira, ou apenas Chacon, comemora neste ano quatro décadas dedicadas a imitar o Rei da música brasileira. “Sempre fui fã. Tenho todos os discos e sei quase todas as músicas”, conta.

Natural de Mallet, no sul do Paraná, Chacon chegou a Curitiba nos final dos anos 50, para estudar e seguir a vida. Já nos anos 60, conseguiu emprego no Ministério do Trabalho, como expedidor de carteira profissional. “Depois de uns anos, até me tornei secretário”, diz orgulhoso. Porém, em paralelo à vida no funcionalismo público, Chacon conseguiu entrar na área de comunicação, sendo um dos pioneiros da televisão no Paraná.

“Fazíamos de tudo na TV. Gravámos telenovelas, jornais e programas de auditório e até infantis. Trabalhei com Mário Vendramel, por exemplo. O estúdio da então TV Paranaense fica no Edifício Tijucas, onde moro. Era uma época muito gostosa, até de certo amadorismo, mas o clima era muito amistoso para se trabalhar”, revela.

No início dos anos 70, numa vista à casa de amigos em Telêmaco Borba, uma pessoa chamou a atenção de Chacon para o fato que ele era muito parecido com Roberto Carlos. “Desde que me falou isso, passei a me dedicar ao papel de sósia do Rei aqui no Paraná e mudou completamente minha vida”, lembra.

Carinho

Chacon já perdeu as contas de quantas vezes se encontrou com Roberto Carlos. “Desde os anos 70, toda vez que ele vem a Curitiba nos encontramos. Já avisou a produtora do show ou amigos influentes e sempre dou um jeito de encontrá-lo. E ele é muito carinhoso e atencioso comigo. É uma figura fantástica que sempre me apoia na minha função de sósia. Jamais reclamou”, lembra.

Cuidado com figurino e visual

O sósia oficial de Roberto Carlos é cuidadoso com o visual e sempre procura seguir figurino e cabelo atuais do Rei. O blazer azul está sempre impecável e cabelo de acordo com o penteado do cantor. “Tenho que fazer certinho, senão perco a credibilidade com o público e com o próprio Roberto Carlos. Então não pode sair da linha”, diz o sósia, que hoje, além do salário de aposentado do Ministério do Trabalho, se mantém fazendo presenças vip e pequenos shows encarnando o Rei.

“Não posso reclamar do que essa função de sósia me proporcionou. Conheci pessoas incríveis, cidades lindas Brasil afora, tiro fotos todos os dias com as pessoas que me reconhecem na rua e, além disso tudo, trabalho imitando um dos meus ídolos. Porque além de sósia, sou muito, mas muito fã do Roberto Carlos. Só tenho agradecer e viver todas as emoções que vivi”, brinca Chacon.