Os coordenadores e integrantes da força-tarefa “Melhorando a Vida dos Moradores de Áreas de Subhabitação”, da Organização das Nações Unidas (ONU), reuniram-se ontem com o presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Luiz Cláudio Romanelli. Eles discutiram o problema das favelas na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), onde 136 mil famílias vivem em condições precárias, e conheceram detalhes do programa Direito de Morar, desenvolvido pela Cohapar desde 2003.

A força-tarefa que visitou a Cohapar estuda a população que vive em favelas e é uma das dez participantes do projeto Milênio, que analisa metas para a redução da pobreza, da fome, do analfabetismo e da degradação ambiental em todo o mundo, com ênfase nos países em desenvolvimento. O projeto tem o apoio do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas.

Participam da comitiva os professores Pietro Garau, da Universidade de Roma (Itália), Eliott Sclar, da Universidade de Columbia (EUA), e as doutorandas Gabriella Carolini e Ligia Largura, também da Universidade de Columbia. Outra professora da universidade viaja como convidada da força-tarefa, a norte-americana Nancy Sclar.

O objetivo da força-tarefa é melhorar, até o ano de 2020, a situação de ao menos 10% das famílias que vivem em favelas, cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo. “Essa é uma proposta que vem ao encontro do trabalho que desenvolvemos desde 2003 na Cohapar, com ênfase na regularização fundiária e na urbanização de favelas”, disse Romanelli aos pesquisadores.

“Curitiba é uma cidade tida como exemplo de planejamento que, no entanto, não conseguiu conter os problemas graves de favelas e moradias precárias”, avaliou Eliott Sclar. Os resultados da visita serão apresentados em abril, durante o encontro Rio + 12, que será realizado pela ONU em Nova York, EUA. “Desse encontro, poderão surgir possibilidades de financiamento para iniciativas de regularização e urbanização de favelas como a desenvolvida pela Cohapar”, afirmou Pietro Garau.

O programa Direito de Morar tem ações em andamento na Vila Zumbi dos Palmares, em Colombo, e na Vila Parolin, em Curitiba, atendendo a cerca de 3,5 mil famílias. A Cohapar também trabalha, em parceria com a empresa Terra Nova, na regularização e urbanização de dez áreas de ocupação em Pinhais, Paranaguá e Matinhos, onde vivem 6,6 mil famílias.