Gripes, rinites, inflamações de garganta ou no ouvido. Está aberta a temporada de doenças de inverno ocasionadas pelo frio, pela umidade do ar e mudanças de temperatura comuns nesta época do ano. Apesar de conhecidos, estes problemas exigem cuidados permanentes especialmente entre crianças e pacientes diagnosticados com doenças crônicas.

Nos pequenos, as doenças afetam principalmente o sistema respiratório, ocasionando, entre outras, rinites e bronquites asmáticas. A pediatra Neuma Kormann, do Hospital Pequeno Príncipe, explica que as crianças menores são as mais afetadas, pois ainda não têm a imunidade totalmente formada, o que acontece com o contato com os vírus.

Para isso, a médica orienta que é preciso atenção nos rituais de higiene, além de evitar aglomerações e ambientes com pouca circulação de ar. Também é importante ficar atento aos sintomas. “A mãe precisa detectar o problema. Nos casos de gripe a febre é comum por no máximo dois dias. É preciso verificar se a febre está prolongada e apresentando outros sintomas como secreção purulenta”, explica.

Descontrole

Para os pacientes com doenças crônicas o tempo frio é o mais severo e piora nos quadros clínicos, pois é nesta época do ano que problemas cardíacos, pressão alta, diabetes e outros descompensam mais fácil. “A pressão sobe mais, aumentam os casos de infartos e de acidentes vascular cerebral”, diz o médico Claudio Alvino da Silva, da Unidade de Saúde Alvorada, no Uberaba. Como não é possível controlar a temperatura, Claudio orienta a investir na saúde para ter mais resistência durante o inverno. Ele aponta a dieta alimentar constante e a prática de atividades físicas como fundamentais.