Bastou esfriar e alguns itens de inverno ganham toda a atenção dos consumidores. Entre os estabelecimentos do Centro, os cafés chegam a dobrar o movimento em dias de temperaturas baixas.

A balconista Carolina Lourenço Gil conta que, em uma manhã gelada como a de ontem, o cilindro com capacidade para quatro litros de café da loja é esvaziado entre quatro e cinco vezes. “Só assim para enfrentar o frio. Acho que o frio faz dobrar a quantidade de bebida consumida”, revela. Outro produto do estabelecimento que ganha força em dias gelados é o chocolate quente.

Além das bebidas quentes, as lojas de roupas e sapatos estão otimistas com a dobradinha frio e pagamento do vale. “O casaco que custava R$ 150 passou para R$ 59,90 e o frio lembra todo mundo da necessidade de se aquecer. Isso tudo, somado ao adiantamento salarial, deve aumentar em 15% as vendas”, projeta o gerente Reinaldo Pereira Bruno.

Luvas

Em outra loja, especializada em sapatos e acessórios, a sensação entre os consumidores são as luvas. “Mesmo sendo luvas de pelica, o estoque masculino já esgotou e o feminino tem alguns itens, mas a procura nos dias frios foi impressionante. Vendemos mais de 20 pares por dia”, constata a vendedora Maria Mikuska.