Durante assembleia de quase três horas, realizada nesta quarta-feira (16), pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba, os trabalhadores da fábrica da Volvo, localizada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), aprovaram prazo de 48 horas para que a empresa inicie negociação de manutenção dos empregos. Além disso, eles cobram o pagamento da 2º parcela da PLR conforme os termos negociados e conceitos aplicados desde de 2011.

Na apuração da 2º parcela da PLR, a empresa não entende que o conceito de PLR, implantado desde 2011, seja aplicado na PLR de 2015. Além disso, querem incluir na apuração da PLR indicativos que não foram discutidos com a comissão de negociação durante o período da apuração da PLR.  Indicativos esses que prejudicam ainda mais o estabelecido em relação ao pagamento da PLR

“Não podemos querer mudar as regras depois de encerrado o jogo. Por isso a decisão da assembleia em dar 48 horas para a empresa tem como objetivo buscar o entendimento em relação aos conceitos estabelecidos desde 2011 e que sempre serviram para a apuração das PLRs dos anos anteriores. Preocupados ainda  com possíveis demissões, queremos iniciar imediatamente as negociações para que possamos preservar  os empregos dos trabalhadores  por um período mínimo de um ano”, diz o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, Sérgio Butka.