A maioria dos funcionários do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná que estavam em greve retornou às atividades ontem. O movimento começou na segunda-feira e cerca de 150 dos 1.300 servidores haviam aderido ao movimento. A direção do HC informou que apenas 42 servidores faltaram na quinta-feira, e que o atendimento estava sendo normalizado.

A volta ao trabalho foi em função de uma liminar que o HC obteve no Tribunal Regional do Trabalho, que determinava a volta imediata dos grevistas, sob pena do sindicato da categoria ser multado em R$ 500 mil por dia. A entidade recorreu da decisão do TRT, e esperava para ontem uma posição. Os servidores dizem que estão mantendo o estado de greve, e prometem nova mobilização na segunda-feira, quando será julgado o dissídio coletivo da categoria.

A principal reivindicação dos servidores é em relação ao reajuste salarial. A proposta dos trabalhadores é uma reposição de 18,75%, mas a direção do HC oferece cerca de 6%.

A Comissão Patronal e o Departamento Financeiro do HC estão, a pedido do reitor, estudando uma medida de impacto proposta pelo advogado do Sinditest( Sindicato dos Trabalhadores do Terceiro Grau Público de Curitiba e Região Metropolitana e Litoral) – a implantação de um banco de horas que reduziria o volume pago de horas extras pelo HC, possibilitando um novo valor para a negociação.