Funcionários do Hospital Evangélico realizaram uma manifestação em frente à instituição, na tarde de ontem, para reivindicar o pagamento de benefícios que estão atrasados desde dezembro. Desde março, a classe está mobilizada pedindo providências da instituição.

“O próprio salário atrasa cerca de 20 dias há cinco meses, e o auxílio alimentação de março até agora não chegou até as mãos dos trabalhadores. Já o vale transporte passou a ser depositado aos poucos, o que deixou muitos funcionários sem passagens suficientes para ir e voltar do trabalho”, afirma a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba e Região (Sindesc), Isabel Cristina Gonçalves.

A sobrecarga de trabalho, de acordo com Isabel, também é um problema frequente em vários setores do hospital, já que funcionários afastados por problemas de saúde ou férias não são substituídos.

Integrante do setor de enfermagem há dez meses, um homem que não quis se identificar, por medo de represálias, garante que não viu em nenhuma outra empresa esse modelo de gestão.

“Para entrar em férias no Hospital Evangélico, o funcionário precisa de um ano e dez meses de trabalho. Quando sai, vai com os bolsos vazios, já que o dinheiro referente às férias só é pago depois que a pessoa volta a trabalhar”, conta. Colegas de setor ainda revelaram que foram ameaçados por integrar a manifestação.

Funcionários mais antigos ressaltam que é a primeira vez que ocorrem problemas no pagamento. “A diretoria do Hospital alegou que os problemas começaram junto ao pagamento do nosso 13.º salário, mas eles prometeram que a situação seria normalizada em até dois meses”, afirma Sidnei Gobbi, que integra o departamento de manutenção do Hospital há 13 anos.

Resposta

A assessoria de comunicação do Hospital Evangélico informou por meio de nota na tarde de ontem que “a Sociedade Evangélica Beneficente, mantenedora do Hospital Universitário Evangélico de Curitiba, reconhece o atraso no pagamento do Vale Alimentação e ressalta que o depósito já foi providenciado”. A negociação com o Sindesc continuará nos próximos dias.