Alongamentos, treinamento, concentração. Fatores essenciais para qualquer velocista. E também para os garçons, que ontem participaram de mais uma corrida realizada em Santa Felicidade, em Curitiba, para comemorar o Dia do Garçom, celebrado no último dia 11 de agosto.

Mas não foi para todo mundo que a preparação deu certo: correndo e equilibrando uma bandeja com duas garrafas de cerveja em apenas uma mão, alguns garçons não deram conta do recado na Avenida Manoel Ribas. A cada garrafa quebrada no chão, a torcida se manifestava.

Além de percorrer os 300 metros de distância e equilibrar as garrafas, os competidores tinham que servir um copo de água para clientes no meio do percurso. O garçom Jeferson da Silva, na profissão há seis anos, venceu uma das baterias da prova. Disputou a corrida pela primeira vez.

Daniel Caron
Em muitos momentos a dificuldade para conseguir equilibrar era grande.

“É difícil, mas é bem bacana”, afirmou. Júlio Cézar Galvão, garçom também há seis anos, participou pela terceira vez. Disse que o segredo era ficar bem tranquilo e entrar no espírito da corrida. “Eu sempre venci as baterias que disputei, mas nunca consegui vencer uma corrida”, comentou.

Treinar, treinar, treinar. Essa foi a fórmula encontrada por Neocrides Trancoso de Britto, conhecido no meio apenas como Britto, para estar no pódio em onze corridas que disputou. São 79 anos de vida (completados ontem, inclusive) e 70 anos de profissão. “O equilíbrio é essencial. Tem que treinar antes, treinar sempre”, revelou.

O evento reuniu mais de 220 garçons, de restaurantes de Curitiba e região metropolitana. Segundo o organizador Mauro Ignácio, os vencedores de cada categoria (masculino até 40 anos, masculino entre 31 e 45 anos, masculino acima 46 anos e feminino) receberam R$ 600.

Os segundos colocados ganharam R$ 400; e os terceiros, R$ 250. Mais de 400 profissionais estavam credenciados para participar do almoço festivo, cervejada e baile, também realizados ontem.