O conjunto habitacional Garças 1, construído há 22 anos no bairro Pinheirinho, em Curitiba, está na mira de golpistas que se passam por corretores de imóveis. Moradores antigos do local observaram transações irregulares em pelo menos oito dos 64 apartamentos distribuídos pelos sete blocos do condomínio.

Na maioria das vezes, o nome de José Marco Silva Ferreira, aparece como o corretor dos imóveis vendidos, mas nunca entregues às vítimas de golpes. O pedreiro José dos Santos conheceu de perto a realidade de ser passado para trás sem ter como reaver o dinheiro.

Ele pagou R$ 8 mil pelo apartamento 14 do Bloco 1, que foi vendido duas vezes para pessoas diferentes. “Achei que seria um grande negócio e perdi todo o dinheiro”, lembra. Depois de tanto correr atrás do golpista ele acabou desistindo. “Cansei! Descobri da pior forma possível que não se pega apenas um recibo ao adquirirmos um imóvel”.

Pelos registros da Cohab, a situação do referido apartamento está sub judicie. “Foi movida uma ação de reintegração de posse, procedimento de praxe, quando mais de três prestações do financiamento não são pagas. Agora, estamos aguardando o aval da Justiça para firmar um contrato de locação social com cidadãos cadastrados na fila da Cohab”, detalha a gerente do departamento imobiliário da companhia, Daniela Rosset.

Segundo a gerente, o contrato de locação social da Cohab foi um meio de minimizar as práticas irregulares de vendas ou ocupações dos imóveis durante os períodos de tramitação judicial relativos à mutuários inadimplentes.

“Sempre criamos condições para que os cidadãos sigam com seus financiamentos. Sendo assim, alguns processos de reintegração de posse se arrastam com os sucessivos acordos. Nesse vai e vem, os imóveis vazios acabam se tornando alvo de golpistas”, avalia Daniela.

A gerente explica que a Cohab-Curitiba procura cumprir um roteiro de fiscalização dos 124 mil imóveis sob tutela da companhia na capital, porém, a participação da comunidade é de fundamental importância nessa ação.

“O setor de patrimônio da Cohab, responsável por esse trabalho, conta com 10 pessoas, ou seja, as denúncias da população são primordiais na contenção desses golpes”, ressalta Daniela, avisando que os oito apartamentos do Garças 1, que apresentaram irregularidades, serão inspecionados pela equipe de patrimônio nos próximos dias.

Quem tiver conhecimento de casos como o do conjunto habitacional do Pinheirinho deve denunciar no telefone:0800-413233. O número também deve ser usado pelos interessados em comprar de terceiros imóveis da Cohab. “Consultar a Cohab é primeiro passo para evitar uma decepção com o sonho da casa própria”, orienta a gerente.