O Ministério da Saúde (MS) informou ontem a prorrogação até o dia 23 de abril da vacinação contra a gripe A (H1N1) nas pessoas compreendidas no segundo grupo da campanha (gestantes, doentes crônicos e crianças de seis meses a dois anos de idade).

Em virtude dessa alteração, a vacinação ao segundo grupo será aplicada junto com o terceiro grupo, dos jovens entre 20 e 29 anos de idade, cuja campanha começa segunda-feira.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nada muda na programação de vacinação do Estado. Portanto, as pessoas compreendidas no grupo dois poderão ser imunizadas normalmente nos postos de saúde que já aplicavam a vacina.

Ao todo o Ministério da Saúde adquiriu 113 milhões de doses para vacinar 91 milhões de pessoas contra gripe pandêmica. A meta é imunizar pelo menos 80% desse público-alvo. Em Curitiba, até ontem apenas 60% do grupo havia recebido a dose.

“Nossa intenção é alcançar 100%”, disse Raquel Farion, enfermeira da coordenação da Central de Distribuição de Vacinas de Curitiba. Na capital, a população deverá ficar atenta aos horários e locais que estarão distribuindo as doses durante o feriado. “Até domingo a vacinação será feita apenas nos postos 24 horas, os Cmum (Centros de Urgências Médicas), das 8h às 18h”, explicou Farion. Durante esse período, as unidades de saúde que aplicavam a vacina durante a semana estarão fechadas.

De acordo com ela, até domingo o grupo da segunda fase deverá procurar um dos oito Cmums que estão aplicando a vacina. São eles: Boa Vista (Avenida Paraná, 3654), Boqueirão (Rua Professora Maria Assumpção, 2590), Cajuru (Rua Engenheiro Benedito Mário da Silva).

Além do Cmum do CIC (Rua Senador Accioly Filho, 3370), Fazendinha (Rua Carlos Klemtz, ao lado da Rua da Cidadania), Pinheirinho (Rua Leon Nicolas, esquina com Avenida. W Churchill), Campo Comprido (Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3495) e do Sítio Cercado (Rua Levy Buquera, 158). “A prorrogação será a chance daqueles que puderam deixar seus trabalhos para se imunizar”, ressaltou Farion.

Filas

Sem saber da prorrogação anunciada pelo Ministério da Saúde, muitas pessoas buscaram a vacina ontem. Na Unidade de Saúde do Boa Vista, por exemplo, a fila para receber a vacina chegou a dez minutos de espera.

“Tentei vacinar o meu filho durante a semana na unidade de saúde perto da minha casa (Colombo). Como tinha muita gente, não consegui. Hoje (ontem), vim mais cedo para não deixar meu filho sem a vacina”, disse o porteiro Igomar Ortiz.