Com a greve dos motoristas e cobradores do transporte coletivo de Curitiba e região decretada em assembleia na noite desta terça-feira (25), os terminais e estações-tubo da capital estavam completamente vazias na manhã desta quarta-feira (26). De acordo com assessoria da Urbs S/A, empresa gerenciadora do sistema, a frota de ônibus está 100% parada, o que vai contra a determinação da Justiça de que durante os horários de pico 70% dos coletivos deveriam circular e em horários normais 40% da frota deveria estar nas ruas. O descumprimento por significar multa de R$ 10 mil por dia.

Segundo Dino Mattos, vice-presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região (Sindimoc), o presidente Anderson Teixeira, não foi notificado. “Se tem uma determinação judicial e nós formos notificados, nós vamos cumprir a determinação”, completou.

Diferentemente do que alegou Mattos, o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) confirmou o recebimento da notificação. Pelo informe do TRT-PR, o comunicado teria sido recebido por Adão Farias, primeiro secretário do Sindimoc. O órgão confirmou ao Paraná Online que uma audiência entre patrões e funcionários está marcada para as 14h desta quarta.

Transporte alternativo

Para tentar contornar a escassez de meios de transporte, a Urbs está cadastrando veículos de passeio para funcionar como transporte alternativo.

A prioridade é para vans e carros já cadastrados anteriormente, pois os veículos já passaram pela vistoria obrigatória. Pelas normas da autarquia, esses veículos podem cobrar no máximo R$ 6 por pessoa. As canaletas do expresso estão liberadas para que os veículos cadastrados possam trafegar.

Outra opção para os usuários de ônibus é a utilização de táxis. Com o aumento da demanda, as linhas das rádio táxis estão com as linhas ocupadas. Apesar do número de táxis nas ruas ter aumentado, conseguir um não está sendo nada fácil. Além disso, é importante lembrar que não está autorizada a cobrança de bandeira diferente da usada em um horário específico em dias normais.

Alguns passageiros ligaram para as centrais de táxi e foram informados de que “táxi hoje, só na rua”. A fila de espera para conseguir um carro começou por volta das 5h.

Pontos-chave do trânsito de Curitiba estão enfrentando problema por conta do maior número de carros nas ruas.

Reivindicações

O Sindimoc está pedido aumento real de 16% para motoristas e 22% para cobradores. No entanto, os representantes patronais ofereceram 5% relativos aos  últimos doze meses. Os trabalhadores pedem também aumento no vale-refeição, porém, o pedido foi negado.

Gerson Klaina
Estações-tubo e terminais estão desertos.

Você conseguiu ir para o trabalho hoje? Envie para o Paraná Online seu relato de como você está se virando neste dia sem ônibus.

Quer saber qual é o melhor caminho? Confira o trânsito em tempo real em Curitiba.