Após quatro meses de reestruturação e de obras, o Hospital São José foi reaberto ontem ao público. A instituição ainda está sob intervenção do município de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, determinada pela Justiça em abril deste ano. O hospital permanece com o caráter filantrópico, mas a gestão ficará a cargo da administração municipal por seis anos, conforme um Termo de Ajuste de Conduta homologado pelo Ministério Público (MP) e a Justiça.

O hospital estava em situação crítica. O MP verificou, entre outros problemas, irregularidades na gestão e desrespeito ao percentual mínimo de atendimento em alguns procedimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Como é uma instituição filantrópica, os pacientes dos SUS devem ser prioridade.

Após o pedido de intervenção, a unidade deveria ter voltado a funcionar em junho, mas houve problema na citação do Estado do Paraná na ação movida pelo MP. Somente depois disso é que as obras de reforma e ampliação do local foram feitas, com um investimento de R$ 8 milhões (destes, R$ 7 milhões vieram de um excedente de arrecadação municipal). “Tudo foi revitalizado. São cinco centro cirúrgicos novos, todas as enfermarias reformadas, UTI equipada”, esclarece Giovani de Souza, secretário municipal de Saúde e interventor do hospital, que oferece 100 leitos de enfermaria. Há capacidade de atender 16 pacientes simultaneamente no pronto-socorro.

Em um primeiro momento, o hospital vai atender somente pelo SUS. Ainda estão em obras a ala para atendimentos particulares e por convênios, a recepção para visitantes do internamento e dois dos cinco centros cirúrgicos. A previsão é terminar o serviço em 30 dias. O local ainda abriga um heliponto e passará a integrar a rede de urgência atendida pelo sistema Samu/Siate. “Faremos a qualificação do tipo de patologia e de situações que o hospital vai receber. Os casos de pediatria e com gestantes devem ser encaminhados para o Hospital Atílio Talamini. O restante viria para o Hospital São José”, comenta Matheos Chomatas, diretor do Sistema de Urgências e Emergências de Curitiba.

Para o promotor de justiça que atua na área de saúde pública em São José dos Pinhais, Divonzir José Borges, este foi o primeiro passo para a reestruturação da saúde no município.