Maringá – O Hospital Universitário de Maringá foi certificado, pelos Ministérios da Educação e da Saúde, como hospital ensino e agora espera a publicação da portaria para oficializar a medida.

Este ano, o governo federal criou um programa de reestruturação que atinge todos os hospitais universitários do Brasil, sendo que o processo de certificação está incluído dentro deste programa. Pela sistemática anterior, era suficiente a instituição se declarar como hospital ensino para ser reconhecido como tal. Pelas novas regras, é necessário cumprir uma série de pré-requisitos.

Para o MEC e para o Ministério da Saúde só são considerados hospitais ensino aqueles que abrigam, formalmente, atividades curriculares de internato da totalidade dos estudantes de pelo menos um curso de medicina e promovem atividades curriculares de um outro curso de graduação superior na área de saúde. Outra exigência é a de que o hospital reserve, pelo menos, 70% dos leitos para os procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS).

O HU de Maringá atente perfeitamente essas exigências. Em meados de setembro o hospital recebeu uma comissão do MEC encarregada de fazer a avaliação para a certificação, que terá dois anos de validade, devendo ser renovada ao final desse período.

Segundo Carlos Edmundo Fontes, superintendente do HU, uma boa notícia é que a classificação como hospital ensino garante o direito a receber recursos adicionais do Ministério da Saúde. A partir da publicação da portaria, o hospital deverá estabelecer um contrato de metas com o gestor local do SUS, ou seja, a Secretaria Municipal de Saúde, para então se habilitar a receber o novo repasse. O volume de recursos depende do contrato de metas.

Além do HU de Maringá, apenas o Hospital de Clínicas da Universidade Federal e o Hospital Evangélico de Curitiba já foram certificados no Paraná.