A preservação de um dos últimos remanescentes de florestas na região noroeste do Estado está prestes a ser garantida. O Ministério do Meio Ambiente e a superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) no Paraná já acertaram a criação da Reserva Biológica das Perobas, que abrange o último remanescente de floresta típica da região, cujo maior símbolo é a peroba. Para acertar todo o encaminhamento necessário para a instalação da unidade, falta apenas a resposta de uma comissão formada por representantes dos municípios e proprietários de terras na região.

A unidade de conservação terá uma área de 9,3 mil hectares nos territórios das cidades de Tuneiras d’Oeste e Cianorte. Segundo o superintendente do Ibama no Paraná, Marino Gonçalves, o local pode ser considerado um verdadeiro oásis na região noroeste. "Nessa região, há uma grande extensão de agricultura. São poucas áreas de mata e esse local acabou se constituindo em um verdadeiro oásis de refúgio para diversos animais. Diante desse nível de importância, tanto na fauna quanto na flora, essa área foi escolhida como prioritária para a criação de uma unidade de conservação", explica.

A Reserva Biológica das Perobas servirá também como um ponto importante de ligação entre outros remanescentes florestais. "A partir da unidade, poderão ser criados corredores ecológicos ligando essa área ao Parque Nacional da Ilha Grande e às reservas da usina de Itaipu", comenta Gonçalves.