A sede da Igreja Universal do Reino de Deus, na Avenida Sete de Setembro, continua funcionando normalmente. Ontem o pastor Valdemir, responsável pela entidade, afirmou que todos os procedimentos contestados pelo promotor João Henrique Vilela da Silveira, na semana passada, estão devidamente corretos e não apresentam irregularidade. O pastor ainda ressaltou que não recebeu mandado judicial que interditasse provisoriamente o local. ?Também já nos encaminhamos até a 14.ª Vara Cível para corrigirmos todas as exigências e evitar o fechamento da igreja. O juiz responsável pela ação ficou de rever o caso?, diz o pastor.

De acordo com o promotor João Henrique, o prédio onde funciona a igreja foi reprovado pelo Corpo de Bombeiros, porque os responsáveis não fizeram todas as adequações exigidas pela corporação para garantir a segurança das pessoas. A igreja também não teria apresentado o laudo firmado por profissional do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea), que atestaria as condições estruturais e de conservação do local. Segundo o promotor, se os responsáveis pelo local não regularizarem a documentação, a interdição pode passar de temporária a permanente. A assessoria do Ministério Público afirmou que ainda ontem, o mandado seria entregue aos responsáveis.