Foto: Lucimar do Carmo

Estrutura no litoral vai ganhar cancela e uma guarita.

A fiscalização da entrada de veículos na Ilha dos Valadares, em Paranaguá, começou a ser intensificada a partir deste início de ano. A ponte que dá acesso ao local, que tem entrada restrita a determinados veículos, vai ganhar cancela, guarita e já apresenta mais rigor por parte dos guardas na triagem dos carros que podem ter acesso à ilha. A intensificação, porém, nada mais é do que a aplicação correta da normativa municipal que estabelece os critérios de circulação, em vigor desde 2005, mas que, segundo denúncias de moradores da ilha, estava sendo desrespeitada.

De acordo com o vice-prefeito e administrador regional da ilha, Antônio Ricardo dos Santos, por conter vias que priorizam a circulação de pedestres e estrutura deficitária para movimentação de veículos, a limitação deve ser cumprida à risca. Além disso, a ponte deve ser preservada do ponto de vista estrutural. ?Carros particulares, somente os autorizados pela administração municipal e pelo Demutran (Departamento Municipal de Trânsito) podem circular. Neste caso, geralmente são veículos de pessoas que possuem alguém na família com deficiência ou doenças graves?, delimita. A ilha tem 20 mil habitantes e possui o cadastro de cerca de 90 veículos.

Mesmo para esses, deve ser implantada uma alternativa à ponte. ?Vamos nos reunir com os moradores que têm veículos para estudar a possibilidade de uma balsa 24 horas (hoje funciona apenas entre às 7h e 19h). Mas carro particular, na ilha, não dá para abrir para todos, senão não comporta o volume?, afirma. Veículos de utilidade pública, como da Copel ou Sanepar, além de ambulâncias, continuarão com passagem liberada.

Já os casos de emergência, que não se encaixam entre os anteriores e até então eram liberados, estão sendo avaliados com mais rigor por parte dos guardas na hora da triagem. ?Quem precisar de autorização para entrar na ilha tem de fazer um cadastro na guarda com a justificativa?. No caso de táxis, por exemplo, o administrador regional estuda ainda a possibilidade de disponibilizar dois veículos que permaneçam em Valadares para uso exclusivo dos moradores.