Ao menos quatro pinguins foram encontrados mortos este fim de semana na Ilha do Mel, Litoral do Paraná. Um vídeo dos animais foi postado nas redes sociais durante a manhã deste domingo (26) mostrando dois deles na orla do mar e outros dois na Gruta das Encantadas. O Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) avalia a causa das mortes.

No entanto, a bióloga Camila Domit, especialista do Laboratório de Ecologia e Conservação de Mamíferos e Répteis Marinhos do CEM, explica que esse tipo de encalhe é considerado normal nesta época do ano. Segundo ela, os animais encontrados são pinguins-de-magalhães, uma espécie comum na região nesta época do ano. “Entre os meses de maio e setembro, há um potencial aumento de população desses pinguins por aqui, o que aumenta a competição por alimento e a possibilidade de eles ficarem mais debilitados”, diz.

“Outro fator que dificulta a sobrevivência da espécie é a pesca, já que muitos pinguins são capturados em redes de pesca e morrem. Esses fatores, aliados às condições do tempo, fazem com que as carcaças sejam levadas pelas águas até a praia. Sempre que frentes frias chegam ao litoral, a tendência é que as carcaças cheguem à costa, nas zonas de praia. É isso que vem acontecendo”, pontua Camila.

O pinguim-de-magalhães é uma ave de médio porte, que m

ede cerca de 70 centímetros de comprimento e pode pesar até seis quilos. Entre suas características estão a plumagem negra das costas e uma risca branca na cabeça. Os olhos, bico e patas são negros. Ainda não foram divulgadas a idade aproximada dos animais que apareceram mortos na Ilha do Mel e nem se eram machos ou fêmeas.

Outros animais

No dia 1.º de agosto, o filhote de uma baleia jubarte também foi encontrado morto na ilha. O animal por um morador na Praia Grande e o Centro de Estudos do Mar atendeu a ocorrência.

No início deste ano, outra jubarte de 12 metros apareceu morta no balneário de Canoas, em Pontal do Paraná. No episódio, o animal surgiu na areia já em um avançado estado de decomposição. E no mês de março, uma fêmea de sete metros de comprimento também foi localizada na praia de Matinhos, onde especialistas do CEM confirmaram a morte do animal.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Barracões abandonados em Curitiba são a ‘casa do crime’ no Jardim Botânico