O incêndio que atingiu o Parque Nacional de Ilha Grande, no extremo oeste do Paraná, foi controlado ontem pela manhã por equipes do Corpo de Bombeiros Comunitário de Guaíra e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A estimativa é que o fogo tenha destruído 5 mil hectares da ponta sul da ilha, que dá nome ao parque. No ano passado, um incêndio semelhante destruiu 70% da vegetação do local.

Segundo o cabo Jéferson Henrique de Lima, supervisor do Bombeiro Comunitário de Guaíra, o combate ao incêndio foi feito durante a madrugada de ontem. De acordo com ele, pela dificuldade de acesso ao local, optou-se por um combate indireto ao fogo.

Com a ajuda de tratores, as equipes desmataram uma faixa próxima à Lagoa Saraiva, como forma de isolar o incêndio em uma porção menor da ilha. ?As máquinas retiravam a vegetação até a terra para não sobrar nada que pudesse queimar e, assim, conter o fogo?, disse. A falta de chuva e o tempo seco favoreceram o alastramento das chamas, fazendo o fogo se espalhar rapidamente. ?A maioria da vegetação é rasteira, composta basicamente por capim de, no máximo, um metro de altura?, comentou.

De acordo com o escritório do Ibama no Parque Nacional de Ilha Grande, o segundo passo no combate às chamas foi a utilização da técnica ?fogo contra fogo?. Depois de formado o aceiro, nome dado à faixa desmatada pelos tratores, os técnicos utilizaram um equipamento chamado pinga-fogo para, de forma controlada, queimar possíveis sobras que pudessem continuar e alastrar ainda mais o incêndio.

No balanço final feito pelos dois órgãos que combateram o fogo, foram queimados cerca de 5 mil dos 6 mil hectares da área do extremo sul da ilha até a Lagoa Saraiva. Na tarde de ontem, analistas do Ibama de Curitiba, acompanhados de técnicos do parque, visitaram o local para avaliar de forma mais precisa a extensão dos danos. Localizado entre Guaíra a Icaraíma, no extremo oeste do Estado, o Parque Nacional da Ilha Grande é composto por um arquipélago no Rio Paraná, com 100 quilômetros de extensão e 78,8 mil hectares de área.

Clima

De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, a baixa umidade relativa do ar e as altas temperaturas permanecerão pelo menos nos próximos cinco dias. ?Não há previsão da entrada no Estado de frentes frias, que poderiam trazer chuvas e aumentar a umidade. Dessa forma, as condições continuam propícias para os incêndios ambientais, como o ocorrido em Guaíra?, disse o meteorologista Tarcizio Valentin da Costa.