Pelo menos 40% das crianças desenvolvem a rinite alérgica, doença crônica mais comum na infância. Junto com a asma, a rinite é a doença alérgica que aparece com mais frequência nesses meses mais frios do ano, quando os locais estão menos arejados e ocorre maior transmissão de vírus.

E, ao invés de tomar remédios ocasionais para controlar alguma crise, a indicação das autoridades médicas é procurar um especialista para tratar corretamente essas doenças crônicas.

Por falta de tempo ou preguiça, muita gente deixa esse problema de lado, que pode ser reflexo de estresse, má alimentação e problemas para dormir, aliados a uma pré-disposição genética a essas doenças.

“O que se pensa ser um resfriado pode ser, na verdade, uma rinite, que pode desencadear diversos outros problemas, como sinusite, sono agitado e interferir na formação da arcada dentária”, argumenta a presidente da regional Paraná da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (Asbai) e médica do Hospital Pequeno Príncipe, Cinara Braga Sorice. Para orientar a população sobre a importância desse cuidado é realizado hoje o Dia Nacional de Prevenção à Alergia.

Nas crianças, um problema alérgico ainda não detectado pode ser confundido com outras dificuldades. “A falta de atenção durante as aulas pode ser resultado de uma noite de sono mal dormida por conta de um problema alérgico e não de problemas ligados diretamente à escola”, exemplifica a médica.

No caso da rinite, a doença pode evoluir para uma asma, que tem como sintomas tosse, crises de falta de ar, respiração curta, chiado no peito e falta de fôlego. Ácaros da poeira de casa, fungos, polens, baratas e pelos de animais são alguns dos fatores que desencadeiam as principais alergias respiratórias. Mudanças de temperaturas e alimentos como o ovo, o leite e o amendoim também podem contribuir para um quadro alérgico.

Alimentos

Médicos têm apontado que as doenças alérgicas aumentaram nas últimas décadas, o que seria resultado de mudanças de hábitos de vida e, principalmente, de alimentação.

As alergias alimentares são uma resposta do organismo a uma proteína considerada “estranha” pelo organismo. Cerca de 90% das reações alérgicas a alimentos durante os primeiros anos de vida são causadas por um grupo de oito alimentos: leite de vaca, ovo, soja, trigo, amendoim, castanhas, peixes e frutos do mar.