A comunidade indígena do Paraná, que faz parte do grupo prioritário de vacinação contra a covid-19, começou a ser vacinada nesta quarta-feira (20). De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), todos os 10.816 índios com mais de 18 anos mapeados em 30 municípios receberão a proteção já no início desta campanha de vacinação.

Em Itaipulândia, no Oeste do Estado, mesmo com a chuva constante, 20 indígenas da aldeia Atý Mirý receberam a primeira dose da Coronavac e outros 70, da mesma comunidade, serão vacinados a partir desta quinta-feira (21). A vacinação está sendo feita no posto de saúde local e ainda deve imunizar mais 40 na aldeia Avý Renda nos próximos dias.

LEIA TAMBÉMMédico agredido, enfermeira e higienização. Conheça os primeiros vacinados pela prefeitura de Curitiba

Para dar exemplo, o cacique Natalino de Almeida Peres, 43 anos, líder dos Atý Mirý, puxou a fila. Em menos de dez segundos, saiu da acanhada sala pressionando um algodão contra o braço e com um tímido sorriso no rosto. “Agradecemos por termos sido priorizados por essa vacina contra o coronavírus. Foi algo que nos trouxe muita preocupação. Falavam que não seríamos priorizados, mas estou vendo aqui que a realidade é outra. Ótimo”, disse ele.

O cacique destacou que a comunidade se instalou em Itaipulândia em 2015 e que atualmente 57 famílias formam a aldeia, com uma população estimada em 190 pessoas – considerando os jovens com menos de 18 anos que não serão vacinados neste momento por não pertencerem ao grupo de risco. “Que bom que a vacina chegou aqui”, ressaltou.

indios-vacinados-coronavirus-parana-2
Foto: Jonathan Campos/AEN/Divulgação.

Vacina garantida

Acompanhado da mulher, Feliciano Barreto Carvalho, 24 anos, fechou o primeiro dia das imunizações na aldeia. Sempre atento às orientações recebidas das enfermeiras, contou que nem dor sentiu no momento da aplicação. Tão logo saiu da sala de vacinação, avisou os amigos nos grupos de WhatsApp que estava imunizado.

Agora, disse, é só esperar o reforço da dose, programado pela Secretaria da Saúde para ocorrer em até 15 dias, e assim garantir a proteção definitiva. “Vemos todos os dias as notícias de que esse vírus é muito forte, por isso precisávamos logo desta vacina”, afirmou. “Que bom que veio logo para nós”, acrescentou a mulher, Lívia Takua Peres, de 21 anos.

indios-vacinados-coronavirus-parana-3
Foto: Jonathan Campos/AEN/Divulgação.

O Estado recebeu do Ministério da Saúde 265.600 doses nesta primeira etapa. Dessas, 22.720 reservadas para a população indígena. A Sesa encaminhou 244 doses da Coronavac para Itaipulândia. Além dos 130 indígenas, profissionais da Saúde e idosos que residem em casas de longa permanência também serão atendidos com a imunização neste primeiro lote.