A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) e o governo do Paraná ainda estão em fase de negociação sobre a formalização de um convênio para que a terceira pista do Aeroporto Internacional Afonso Pena possa ser construída. O superintendente da Infraero, Felipe Barcelos, informou que a obra é uma necessidade para que o local se desenvolva e atue com maior capacidade.

No entanto, ainda não há um prazo definido para que o acordo seja fechado. O valor estimado da obra deve ficar em torno de R$ 120 milhões. “Ainda estamos no início das negociações e não posso adiantar nada. É uma necessidade do aeroporto e temos que aguardar para ver se o convênio realmente vai sair”, diz o superintendente.

De acordo com números da Infraero, até o mês de julho, o volume de carga aérea que chegou ao aeroporto foi de cerca de 15 mil toneladas. O número de vôos realizados no Afonso Pena chegou a mais de 30 mil, transportando 1,5 milhão de passageiros nos sete primeiros meses deste ano.

Aeroshopping

Se o convênio com o governo ainda não foi formalizado, outro projeto – já implantado nos aeroportos internacionais Salgado Filho, de Porto Alegre e Dois de Julho, em Salvador – começa a ser desenvolvido ainda neste ano. É a implementação de um Aeroshopping, com algumas pequenas mudanças das 65 lojas, entre áreas de serviço, varejo e alimentação que já existem no Afonso Pena. “É um novo conceito de varejo aeroportuário. Além de se tornar mais atrativo para os passageiros, o novo espaço irá incrementar o aeroporto, sendo também ponto de visita para as pessoas que vêm para conhecer o local”, afirmou.

Além de movimentar o aeroporto, o projeto deve aumentar a renda da Infraero e de seus concessionados. A empresa calcula que dentro de sessenta dias a etapa inicial de implantação do shopping já possa começar. As lojas serão removidas para o piso inferior, de embarque e desembarque, e os locais de serviços (bancos, correios) e estabelecimentos de alimentação vão para o segundo andar. “Serão mudanças estéticas, além da criação de uma logomarca para divulgar essa novidade. Na verdade, o projeto deverá estar em pleno funcionamento até o próximo ano”, concluiu Barcelos.