A Urbs apresentou na manhã desta sexta-feira (16) o edital para a liberação de 750 novas placas de táxi para Curitiba. Durante o encontro, a direção do órgão detalhou todos os critérios que serão utilizados para a seleção e informou prazos para obtenção das novas licenças. Segundo as diretrizes da licitação, terão preferência motoristas com mais tempo de profissão, menos infrações registradas e com veículos mais novos.

“Foram os critérios foram estabelecidos após as contribuições de ideias apresentadas durante as audiências públicas que fizermos sobre o tema”, afirma Roberto Gregório da Silva Júnior, presidente da Urbs. A licitação definirá os novos permissionários por meio de um critério de pontos. O tempo de serviço como taxista contará mais na pontuação. Com isso, motoristas que dirigem há mais tempo, mas não contam com licença própria, sairão em vantagem.

O segundo critério é o número de infrações cometidas por cada motorista – menos multas, mais pontos. Já o último quesito se refere à idade do veículo. Segundo a Urbs, quanto mais novo o carro, mais pontos serão somados. Não serão aceitos veículos fabricados antes de 2009.

Segundo a Urbs, a licitação 001/2013 será na modalidade concorrência e no tipo melhor técnica. A previsão é que 3 mil pessoas participem da seleção. O prazo para entrega de envelopes de habilitação e proposta vai de 7 a 25 de outubro. Os envelopes serão abertos em sessão pública no dia 28 de outubro. “Nós temos um prazo que a legislação estabelece neste tipo de licitação. Acreditamos que no início do ano que vem, após todos esses processo de análises das certidões e dos critérios, teremos novos táxis nas ruas de Curitiba”, disse Roberto Gregório da Silva Júnior.

As 750 autorizações para prestação de serviços de táxi em Curitiba terão prazo de 35 anos, prorrogáveis por mais 15 anos. Com a licitação, a frota da cidade passa de 2.252 para 3.002 táxis.

Lotes

O edital de licitação foi dividido em três lotes para atender a demanda de mercado. Serão 700 autorizações para táxi convencional e executivo, mais 30 táxis convencionais, para operação por taxistas com deficiência física e 20 para a categoria de táxi especial compartilhado, que deverá atender prioritariamente usuários com deficiência, mas quando não houver este atendimento, também pode atuar como convencional.

Taxistas aprovam edital

Os motoristas que acompanharam o lançamento do edital aprovaram os termos para a liberação de novas placas. Taxista há mais de 20 anos, Aramis Galego Júnior considerou a licitação uma vitória. “Para nós que somos empregados foi muito bom, pois agora temos a possibilidade de trabalharmos para nós mesmos. Saímos ganhando nessa”, afirma.

Ademir Vieira Garcia, taxista há 14 anos, também aprovou os critérios de escolha da licitação. “Vai dar vantagem a quem está mais tempo na praça e tem mais experiência e condições de oferecer o melhor serviço no mercado”, diz.