Aumentou para 28 o número de propriedades rurais ocupadas no Paraná, somente neste ano, de acordo com dados divulgados na noite de ontem pela Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep). A Faep informou que, na tarde de anteontem, cerca de vinte integrantes do MST cortaram a cerca de divisa e ocuparam a Fazenda Pitanga, com área de 646 alqueires, no município de Uniflor.

A fazenda é propriedade de Fonte da Prata Agropecuária Ltda. Segundo a Faep, a ocupação só foi divulgada ontem por que, antes disso, o produtor estava preocupado em buscar orientação com o Sindicato Rural e advogados.

Conforme a Faep, os sem-terra teria entrado na propriedade por uma área de reserva de matas, demonstrando “total afronta à legislação ambiental, com o corte de árvores para construção dos barracos”. A Faep informou que a fazenda Pitanga possui alto índice de produtividade. A atividade econômica inclui a produção de milho, soja e canola, além da criação de gado por sistema avançado de confinamento.

O proprietário registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Nova Esperança e está ajuizando ação de reintegração de posse.

Com esta ocupação, somando-as às ocorridas no governo anterior, 41, hoje o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) ocupa no Paraná 69 propriedades, de acordo com levantamento da Faep.

Procurados pela reportagem de O Estado, representantes do MST, da Comissão Pastoral da Terra (CPT), do governo do Estado e do Incra não foram localizados no início da noite de ontem para comentar as denúncias.