O cronotacógrafo é um equipamento que mede a velocidade, o tempo e a distância dos veículos, sendo obrigatório em todos os veículos de transporte de carga acima de 4,5 toneladas e de passageiros com mais de 10 lugares.

Ontem, o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) realizou uma operação especial para fiscalização dos equipamentos. A ação aconteceu na BR-277, na saída de Curitiba em direção a Ponta Grossa, próximo à confluência com o Contorno Sul.

Posteriormente, iniciativas semelhantes devem ser realizadas em outras regiões do Paraná. “A instalação do cronotacógrafo é uma exigência do Código de Trânsito Brasileiro, por meio do artigo 105. O prazo para que veículos de cargas perigosas, escolares e de viagem tenham o equipamento instalado já venceu. No próximo dia 31, vence o prazo para os veículos de carga comum”, disse o diretor técnico do Ipem no Paraná, Shiniti Honda.

O cronotacógrafo serve para controle da jornada do motorista e também como prova em casos de acidente. Desde 1997, o equipamento vem instalado de fábrica nos veículos.

Porém, é necessário que passe por ajustes, selagem e verificação a cada dois anos. A verificação custa R$ 149 e, no Estado, pode ser realizada em sete postos credenciados pelo Ipem.

Se os veículos forem flagrados circulando sem cronotacógrafo ou com o equipamento em situação irregular, a penalidade é multa de R$ 100 a R$ 1,5 milhão, dependendo da gravidade do problema e reincidência.

Na manhã de ontem, o motorista Cleverson Adriano Moreira, que trabalha com transporte de passageiros, foi parado na fiscalização realizada na BR-277. Ele tinha o cronotacógrafo corretamente instalado em seu veículo e valorizou a iniciativa do Ipem.

“É interessante que a instalação do equipamento seja fiscalizada. É mais uma medida para controle dos limites de velocidade e para garantir a segurança de todos”, afirmou.