Uma imagem inusitada divulgada pela página do Facebook “Palmeira Molotov”, no fim da semana passada, despertou curiosidade entre usuários da rede social. Numa paisagem campestre, a foto mostra uma carroça puxada por um trator com o logotipo semelhante ao da Uber. No “calhambeque”, três passageiros apreciam a paisagem rural. Para entender exatamente do que se trata o registro, provavelmente feito pela câmera de um celular, a Tribuna do Paraná foi atrás dos responsáveis pela “Carroça Uber”.

Ideia da empresária Anke Kliewer, o “Über All” foi lançado recentemente, na Volkfest – uma festa típica regional que aconteceu há algumas semanas na Colônia Witmarsum, município de Palmeira, nos Campos Gerais. “O objetivo era levar os turistas para passear pela colônia de um jeito que representasse bem o nosso dia a dia”, explica. Com o trator emprestado de um amigo, a empresária anexou uma das carroças da família ao veículo e elaborou um logotipo divertido, em referência ao serviço da empresa Uber. “Para não copiar, a gente acrescentou um trema e a palavra ‘all’ ao serviço, que em alemão significa ‘todos’. Traduzindo fica como um ‘uber para todos’” , brinca.

Imagem publicada no Facebook mostra "Uber de carroça" em Palmeira.
Foto: Reprodução/Facebook

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Detalhes do serviço

Ao custo de R$ 15 por pessoa e com um itinerário curto pelos principais pontos turísticos do reduto menonita, o serviço foi sucesso total. “A gente não esperava que o público fosse gostar tanto. A ideia era promover algo diferente para a festa mas o resultado foi tão surpreendente que estamos planejando incluí-lo no circuito turístico da colônia”, afirma Anke.

Ainda em fase de testes, o “Über All” conta apenas um veículo na frota, por enquanto. A ideia, porém, é “oficializar” o serviço junto ao centro turístico do município. Segundo Anke o trajeto – de aproximadamente 40 minutos – deverá incluir pontos históricos do local como o Colégio Fritz Kliewer, a igreja principal, o Museu da cidade e, é claro, algumas confeitarias da região. “Temos planos também de contratar um ‘guia’ para ir contando a história da colônia para os turistas pelo caminho”, explica Anke. Rápido, democrático e justo no preço, o “Über All” promete expandir a rota turística de Witmarsum para além dos cafés coloniais. “Por enquanto a ideia está só no papel, mas – caso realmente dê certo – será uma forma muito especial de divulgar ainda mais a nossa cultura”, finaliza Anke.

+Leia mais: Mulher confunde ré com primeira marcha e carro acaba caindo em barranco

Sobre a colônia

Fundada em 1951, na antiga ‘Fazenda Cancela’ – em Palmeira, nos Campos Gerais – a Colônia Witmarsum é um dos poucos redutos coloniais que ainda preservam, quase integralmente, o modo de vida cooperativista dos imigrantes russo-alemães (também chamados “Menonitas”), que vieram para o Brasil em 1929.

Composta por extensos prados e plantações, a colônia preserva a história dos imigrantes e oferece atrações que vão das trilhas naturais às os tradicionais confeitarias – famosas entre turistas e apreciadores da gastronomia colonial.

Ansioso pelo horário de verão? Neste ano, ele vai começar mais tarde; entenda!