Curitiba terá um jardim sensorial, primeiro espaço público da cidade para estimular, com plantas, o tato, olfato e audição dos visitantes. O Jardim das Sensações, construído pela Prefeitura no Jardim Botânico, será inaugurado nesta segunda-feira (8) pelo prefeito Beto Richa, às 10h.

A nova atração atenderá a propósitos de educação ambiental e também deficientes visuais. “É um espaço para inclusão e uma nova atração para a cidade. Através do Jardim das Sensações, a população perceberá o meio ambiente de forma diferente”, diz Richa.

O Jardim das Sensações, projetado por arquitetos e funcionários da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, tem como base uma área arborizada do Botânico. O Instituto Paranaense dos Cegos deu apoio no desenvolvimento do projeto.

São 2.381 metros quadros especialmente ornamentados com plantas e equipamentos que estimulam os sentidos. Mais de 70 espécies de plantas com cheiros, texturas, formatos e tamanhos diferentes preenchem o percurso de 200 metros do Jardim.

Os passeios serão feitos por grupos de no máximo 30 pessoas e monitorados por biólogos do Jardim Botânico. Os grupos percorrerão o trecho de olhos vendados e depois sem a venda, para tentar reconhecer as plantas com o apoio da visão. “A proposta é que seja uma vivência diferente”, diz a bióloga Eli de Moraes Cunha.

Uma trilha feita em concreto antiderrapante com corrimão de apoio em todo o trecho levará os visitantes por diferentes ambientes de plantas e outros elementos naturais, como água. Na entrada, os visitantes receberão orientações dos monitores e as vendas. Um mapa com desenho visual e em braile mostra como será o percurso. As plantas também estarão identificadas com placas em braile.

Os vasos com as cerca de 70 espécies de flores, ervas e outras vegetações deixam as plantas numa altura de um metro do chão. No meio da trilha, um pequeno lago com cascata e ponte dá sensação de frescor e provoca os sentidos através do barulho da água. Logo depois, os visitantes passarão por um estreito corredor de cedro. “O toque das plantas no corpo libera o aroma da planta e estimula a percepção do visitante”, diz Eli.

Maurilio Cheli/SMCS

A mudança de piso é outra estratégia sensorial. No meio da trilha foi plantada uma pequena floresta de palmito e, entre as árvores, o piso é circular. Algumas árvores já adultas fazem parte do terreno do jardim e serão aproveitadas. Outras, como as glicíneas e buganviles, precisarão de mais tempo para se desenvolver.

Além do som provocado pelo vento nas plantas, em meio à vegetação sinos de diferentes materiais e tamanhos darão estímulos auditivos ao passeio. “Muito mais do que caminhar por um ambiente bonito e agradável, o passeio pelo Jardim das Sensações é um passeio pelos nossos sentidos”, diz a arquiteta responsável pelo projeto, Lorelei Motter Kikuti.

Para que o Jardim seja um elemento surpresa, ele ficará camuflado por uma cerca de bambus. Os passeios pelo Jardim das Sensações serão agendados a partir de fevereiro, pelo telefone 41 – 3264-7365.