Familiares, amigos e colegas de profissão acompanharam, na manhã de ontem, o sepultamento do jornalista, advogado, fundador do jornal Diário Popular e presidente do Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Estado do Paraná, Abdo Aref Kudri, que morreu na sexta-feira, aos 80 anos, vítima de parada cardíaca. O enterro aconteceu no Cemitério Municipal São Francisco de Paula, em Curitiba.

“O Abdo foi o grande líder dos proprietários de jornal no Paraná. Ele tinha um temperamento pacificador, fazendo com que houvesse harmonia entre a classe. Com sua morte, sofremos uma perda inestimável. Fica uma lacuna que não pode ser preenchida. Perdemos um grande amigo”, disse o diretor-presidente da Editora O Estado do Paraná, Paulo Pimentel, grande amigo de Abdo e que realizou um discurso emocionado durante a cerimônia de sepultamento.

O publicitário Vadico de Mello, que trabalhou com Abdo, também lamentou a morte do advogado e jornalista. “Abdo foi meu padrinho profissional. Uma pessoa que sempre me ajudou e que ajudava a todos que precisavam. Se alguém estivesse passando por alguma dificuldade, ele era sempre o primeiro a estender a mão. Com ele, não tinha tempo ruim”, declarou.

Abdo morreu no Hospital Santa Cruz, onde estava internado para tratamento de uma pneumonia. Uma de suas últimas aparições públicas aconteceu no último dia 5 de maio, quando recebeu uma homenagem da Câmara Municipal de Curitiba pelo Dia da Comunicação, no Palácio Rio Branco.