O Laboratório Central do Estado (Lacen) constatou por meio do exame de sorologia que Giovana Marcos da Silva, 30 anos, foi vítima de dengue com complicações respiratória (insuficiência respiratória aguda) e hepática (icterícia). Não foi comprovada dengue hemorrágica como se suspeitava anteriormente, pois a paciente não apresentou baixa de plaquetas nem hipotensão (pressão baixa).

O Lacen aguarda o resultado do teste de ?isolamento viral? para identificar qual dos quatro tipos de dengue existentes a mulher contraiu. O exame viral, que é bastante complexo, leva em média 30 dias para estar completo. ?Dos quatro tipos existentes, o Brasil possui três. Assim que for identificado o tipo de vírus, intensificaremos o trabalho de orientação para a população?, disse o diretor de Vigilância em Saúde e Pesquisa da secretaria, Luiz Armando Erthal.

Nos municípios da 11.ª Regional de Saúde, com sede em Campo Mourão, foram registrados apenas oito casos de dengue em 2005, sendo três autóctones (contraídos no Estado) e cinco importados.

Caso

Giovana começou a ter febre acompanhada por dores de cabeça, dores no corpo e mal-estar no dia 15 de julho. A paciente foi infectada no município de Nova Maringá, no estado de Mato Grosso. Ao chegar em Campo Mourão foi encaminhada a uma unidade de saúde, e em seguida ao pronto-socorro da Santa Casa da cidade, que após vários exames constatou que se tratava de dengue.