O juiz da 1.ª Vara Cível de Ponta Grossa, Luiz Henrique Miranda, notificou ontem o representante judicial do Estado do Paraná na comarca de Ponta Grossa, para em 72 horas dar explicações sobre o decreto que suspende o curso de Medicina da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Conforme a assessoria da 1.ª Vara, o magistrado ainda não julgou o mérito da ação civil pública pleiteando liminar garantindo o funcionamento do curso, protocolada na segunda-feira pelo promotor da Saúde Pública e da Cidadania, Fuad Faraj. A assessoria do juízo informou que o procurador do Estado em Ponta Grossa, Gérson Luiz Dechandt, recusou a notificação, alegando não ter competência para o caso. Hoje, Miranda receberá a negativa de Dechandt e poderá encaminhá-la para a Procuradoria Geral do Estado, em Curitiba, ou conceder a liminar pleiteada pelo Ministério Público Estadual.