Quem olhou para o horizonte oeste ontem, por volta das 18h, pôde admirar, a olho nu, os planetas Júpiter e Vênus alinhados. Vênus, o mais brilhante, estava à direita e um pouco mais abaixo de Júpiter. Segundo o astrônomo e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Germano Afonso, ontem foi o dia de máxima aproximação dos planetas. “Às 18h14, eles estavam a apenas 1,64º de afastamento”, afirma.

Ele lembra que, olhando da Terra, se tem a impressão que os dois planetas estão bastante próximos, mas que, no espaço, eles estão muito distantes um do outro. “Sendo assim, não há nenhum perigo de os dois planetas se chocarem. A aproximação é apenas uma ilusão do ponto de vista do observador da Terra”.

Júpiter e Vênus apareceram no céu antes mesmo das primeiras estrelas e causaram muita curiosidade. Segundo o professor, pessoas que desconhecem o fenômeno chegam a confundir os planetas com discos voadores. “Nos dias em que os planetas são visíveis juntos no céu, muita gente me liga perguntando o que são. Observando-os com binóculos ou filmadoras, parecem mesmo objetos bastante estranhos, o que justifica a confusão com discos voadores. Quem utiliza equipamentos adequados pode ver também as luas de Júpiter. É muito bonito”, comenta.

O alinhamento, de acordo com Germano, acontece todos os anos. Em 21 de agosto de 2003, ele garante que a visão no céu vai ser ainda mais impressionante. “No ano que vem, Júpiter e Vênus vão aparecer no céu com afastamento mínimo de apenas meio grau. Novamente, vão ser visíveis a olho nu”, revela.

A cada dia, os dois planetas vão ficando cada vez mais distantes. A partir de amanhã, Júpiter vai começar a se posicionar um pouco mais abaixo de Vênus. Porém, o professor acredita que o fenômeno possa ser observado até a próxima semana.