Com exatos 110 dias de vigor da Lei Antifumo em Curitiba, a Vigilância Sanitária do município já autuou 37 estabelecimentos por descumprimento à Lei Municipal 13.254/09, que proíbe o fumo em ambientes fechados de uso coletivo, além de extinguir os chamados fumódromos na capital. O número representa pouco mais de 0,6% do total de 6.602 locais inspecionados pela fiscalização.

De acordo com o Centro de Saúde Ambiental da prefeitura de Curitiba, 29 já receberam multa de R$ 1 mil, prevista pela lei. Dentre os estabelecimentos autuados, uma instituição de ensino superior.

Para o diretor do Centro de Saúde Ambiental, Sezifredo Paz, o volume de autuações é proporcionalmente baixo se comparado ao número de locais inspecionados. “Isso mostra que, com a lei em vigor, as pessoas estão se conscientizando mais”, afirma.

Segundo Paz, o baixo volume de autuações também se deve às ações educativas e ao trabalho de fiscalização, que está sendo feito também nos finais de semana. Segundo o diretor, as ações educativas já alcançaram diretamente 80 mil pessoas.

“O mais importante é o fato de que as pessoas estão respeitando a lei. Muitos já se conscientizaram de que a lei veio para melhorar a saúde e a qualidade de vida dos cidadãos”, diz.

Para o agente comunitário Ricardo Rodrigues, com a ampla repercussão em torno da lei, além de desestimular os jovens a fumar, também incentiva fumantes a parar.

“O fumante hoje está ficando cada vez mais restrito. Livre do cigarro você respira melhor e até a autoestima melhora. Você consegue frequentar shoppings e restaurantes sem aquela preocupação”, afirma o Rodrigues, que parou de fumar há três anos, depois de 22 anos de “fumaça”. Segundo agente, uma boa dica é participar das reuniões promovidas pela Prefeitura de Curitiba nos postos de saúde.