Vinte e um trabalhadores foram encontrados em condições análogas à de escravos em duas fazendas do Paraná. Segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público do Trabalho (MPT) no Paraná, o Grupo Móvel de Fiscalização de Trabalho Escravo, formado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público e a Força Verde, encontrou esses trabalhadores em condições precárias na zona rural de São João do Triunfo.

A fiscalização flagrou os trabalhadores usando água suja, contaminada por objetos, insetos e larvas. Eles dormiam amontoados em barracos improvisados, sem as mínimas condições de higiene, conforto e segurança.

De acordo com a assessoria, os alojamentos e as frentes de trabalho foram interditados. Os empregadores firmaram termo de ajuste de conduta com o MPT e se comprometeram a regularizar as contratações, efetuar o pagamento das verbas rescisórias e indenizar os trabalhadores por dano moral individual. O pagamento dos trabalhadores já está sendo efetuado.