O edital que vai conceder o direito de operar o Hotel das Cataratas, situado dentro do Parque Nacional do Iguaçu, vai ser reformulado esta semana e depois disto os interessados vão ter 30 dias para analisar o documento e apresentar suas propostas. A abertura dos envelopes deveria ter ocorrido ontem, mas o Tribunal de Contas da União (TCU) cancelou o edital anterior por considerá-lo incompleto. Durante 47 anos o hotel foi administrado pela Rede Tropical Hotel & Resort Brasil, do Grupo Varig.

A suspensão do edital ocorreu na ultima sexta-feira devido a uma série de pedidos de impugnação feito ao TCU. O chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro, explica que o órgão encontrou três pontos frágeis no edital e para evitar ações na Justiça posteriormente pediu a mudança. No entanto, Pegoraro diz que não tem autorização para comentar as modificações, mas que eram referentes apenas a questões administrativas.

A mudança está sendo feita pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU), Ministério do Planejamento e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgãos responsáveis pelo primeiro edital. Segundo Pegoraro, ainda esta semana o novo documento deve ficar pronto e depois de publicado no Diário Oficial da União, os interessados vão ter 30 dias para a consulta pública.

Pegoraro descartou também a realização de uma nova audiência pública para discutir o edital. Em março, cerca de 200 representantes de entidades ligadas ao turismo apresentaram várias propostas de alteração do documento, mas só foi atendida a que mudava de 10 para 20 anos o prazo de arrendamento. Solicitações como a permissão para taxistas, agências de viagens e guias de turismo continuarem atuando no interior do parque não foram aceitas. O acesso dos hóspedes ao hotel será de responsabilidade da empresa que vencer a licitação. Esta decisão fez com que o Sindicato das Empresas de Turismo (Sindetur), de Foz do Iguaçu, entrasse com o pedido de impugnação.

A licitação atraiu o interesse de vários grupos nacionais e internacionais. Os principais são o Orient Express (Copacabana Palace), a Rede Accor, a própria Tropical, atual administradora do estabelecimento, e o Sesc-Senac, que firmaram uma associação para participar, com um projeto de hotelaria educativa.