O projeto da Linha Verde está em fase de construção do trecho norte, mas terá ampliações do outro lado. Enquanto a trincheira que ligará o Bacacheri ao Bairro Alto já tem equipes trabalhando na análise da topografia, uma reunião realizada em Brasília, na quarta-feira, definiu os primeiros passos de uma ampliação do projeto até o município de Fazenda Rio Grande, no trecho sul.

O trecho de três quilômetros que sai do início das obras da Linha Verde, no Pinheirinho, até o Contorno Leste, é de responsabilidade da prefeitura de Curitiba e já está em fase de preparação do edital de licitação. A obra será financiada pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Copa.

Já o trecho de 8,8 km do Contorno Leste até a divisa com Fazenda Rio Grande, somado ao de 3,2 km até o terminal de ônibus da cidade, é de competência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), mas é concessão da empresa OHL.

“A OHL se comprometeu em duplicar a rodovia quando adquiriu a concessão. Apresentamos propostas e estudos para que seja feita uma única obra que seja compatível com a obrigação da OHL e nosso projeto”, explica Luiz Hayakawa, coordenador administrativo da regional Matriz da Prefeitura de Curitiba.

Ele participou da reunião com uma equipe da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que contou com representantes do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) e da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec).

A obra beneficiaria o acesso à Ceasa, o tráfego conturbado entre o Umbará e o Tatuquara, e o acesso à cidade vizinha. “O retorno foi muito positivo. Há uma expectativa que a obra comece já no ano que vem”, garante Luiz.

Trecho

Outro trecho da Linha Verde terá 8 km e fará a ligação do Jardim Botânico ao Atuba. Ao longo desta obra serão instaladas sete trincheiras: duas do binário da Avenida Agamenon Magalhães (Cristo Rei) com a Rua Roberto Cichon (Cajuru); uma na Avenida Victor Ferreira do Amaral (Tarumã); outra entre a Rua Gustavo Rattman (Bacacheri) e Rua José Zgoda (Bairro Alto); duas no Atuba e a última na Rua Rio Juruá, Bairro Alto.