Para saber se alguma pessoa ou empresa está com o “nome sujo” no Paraná, não adianta buscar informações atualizadas junto às empresas de proteção ao crédito Serasa Experian e Boa Vista SCPC. É o que alerta o Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil – Seção Paraná (IEPTB/PR), que representa os cartórios de protestos no estado.

+ Leia mais: O DPVAT acabou. E agora? Tire algumas de suas dúvidas!

Segundo o IEPTB, por não recolherem taxas cartorárias previstas em lei estadual, esses serviços de proteção não contam com as informações do mês de novembro relativas às pessoas físicas e jurídicas protestadas nos cartórios do Paraná. A situação atinge grandes municípios como Curitiba, Londrina, Foz do Iguaçu, Cascavel, São José dos Pinhais e Maringá.

+Caçadores! Como ficou o Santa Cândida após a saída de Lula da prisão?

O instituto diz que as informações podem ser obtidas, gratuitamente, no site www.pesquisaprotesto.com.br, a partir do fornecimento de CPF ou CNPJ. No entanto, mesmo por esse caminho, há uma ressalva “cartórios sem informações completas dos últimos 5 anos”. As empresas Serasa Experian e Boa Vista SCPC foram contatadas e ainda não se posicionaram sobre a informação divulgada pelos cartórios de protesto.

Governo promete criar 4 milhões de empregos, saiba como será!