Frutas. Verduras. Carnes. Especiarias. Cereais. Queijos. Vinhos. Tudo o que se possa imaginar é encontrado no Mercado Municipal, lugar propício para descoberta de sabores, aromas e cores. Esse rico cenário e os personagens que o compõem são as atrações do livro Mercado Municipal de Curitiba, lançado ontem pelo jornalista Eduardo Sganzerla.

"É aqui que as pessoas compram por prazer, não somente pela necessidade", afirma o autor. O lançamento foi feito entre aqueles que o ajudaram a escrever a obra: os trabalhadores do mercado. Após oito meses de trabalho, entre pesquisas e entrevistas, Sganzerla conseguiu reunir em 148 páginas as histórias dos simples das pessoas que fazem do Mercado Municipal uma referência gastronômica para a cidade. "A maioria é de pessoas que começaram do nada. Muitos estão há 47 anos aqui. É uma vida inteira. O mercado não existiria sem essa força", comenta. O Mercado Municipal de Curitiba, que oferece mais de 70 mil itens diferentes aos clientes, foi inaugurado em 1958 como um símbolo de modernidade da época. Virou patrimônio da cidade, recebendo visitantes todos os dias, todas as horas. "Curitiba seria diferente se não existisse o Mercado Municipal. Ele representa o capricho dos curitibanos, que gostam das coisas bem cuidadas. O mercado retrata a alma de quem vive em Curitiba", opina o jornalista.

Cada detalhe deste espaço tipicamente curitibano está relatado no livro, que conta com as fotos de Diego Singh, pesquisa de Lorena Sganzerla e projeto gráfico de Sílvia Sganzerla e Marco Medeiros. É a primeira publicação inteiramente sobre o Mercado Municipal de Curitiba, feita por meio da lei municipal de incentivo à Cultura.