A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria de Saúde, encerrou na última segunda-feira (15), a vacinação contra a rubéola no município. A ação teve início em agosto e ao todo foram vacinadas 136.095 pessoas, o que corresponde a 81,72% do total de londrinenses entre 20 e 39 anos. A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde era vacinar 166.529 pessoas, o que totalizaria 95% dos londrinenses nessa faixa etária.
 
Segundo a diretora de Epidemiologia e Informações em Saúde, Sônia Fernandes, são vários os motivos que levam uma pessoa a não se vacinar. “O medo, o fato de já ter tomado a vacina e até o desaconselhamento de alguns médicos”, apontou.

De acordo com a diretora, em Londrina, ao contrário do que foi verificado nos demais municípios, o número de homens que foram vacinados superou o de mulheres. “Tínhamos a meta de vacinar 80.784 homens e vacinamos 66.952, que corresponde a 83,88%. Os homens têm dificuldade de adesão às campanhas. Nossa situação é atípica”, informou.
 
Em relação às mulheres, o objetivo era vacinar 85.745 londrinenses. No entanto, a cobertura atingiu 69.143, correspondendo a 80,05% do total. “A previsão do Ministério da Saúde é que esta tenha sido uma campanha única e que não seja realizada mais”, ressaltou.
 
Sônia Fernandes lembrou que sempre que não há garantia de que as pessoas estão imunizadas, há o risco de circulação da doença. “Não tenho como atestar que as outras pessoas que não tomaram a vacina agora, foram vacinadas em outro período”, destacou.  Ela informou ainda que é preciso aguardar e, se novos casos ou até mesmo uma epidemia surgir, é que será discutida qual conduta será tomada. “No entanto, vamos manter a vigilância”, completou.