Por determinação do governador Roberto Requião, a jornalista Lúcia Arruda assume a presidência do Programa de Voluntariado Paranaense (Provopar), no lugar da primeira-dama Maristela Requião, que passa a dirigir o Museu Oscar Niemeyer. Com um currículo extenso voltado às ações sociais, Lúcia inicia uma nova etapa na entidade, com planos de atuar intensamente em todas as frentes da área social, especialmente, “com objetivos voltados à geração de empregos”.

A proposta de resgatar o espaço e o verdadeiro papel do artesão paranaense está entre as primeiras iniciativas desta jornalista, que participou de atividades na Associação Paranaense de Reabilitação (APR), além de ter sido uma das coordenadoras do projeto Assoma – Associação dos Meninos de Curitiba. Lúcia conta que o Provopar está acionando a Justiça contra a organização não-governamental “Uniarte”, que atualmente gerencia a Casa do Artesão, na Dr. Murici e o espaço de venda, também, de artesanato localizado no aeroporto, que pertence à Infraero. “É um absurdo esse comodato formalizado pela Secretaria da Criança, no governo anterior”, afirma. “Vamos fazer com que imóvel retorne à Secretaria da Cultura e devolver o espaço ao seu verdadeiro proprietário: o artesão paranaense”.