A explosão de casos de covid-19 no Paraná em julho também atingiu seriamente as crianças, cujas aulas o governo do estado pretende retomar em setembro de forma gradual, conforme a idade dos alunos. Sozinho, o mês de julho concentrou 66% de todo os casos (50.152 infecções) e 60% das mortes (1.152 óbitos) no estado. Até esta segunda-feira (3), 33 crianças estavam internadas com covid-19 no estado.

Sozinhos, os casos de crianças contaminadas por coronavírus em julho supera todos os outros meses de pandemia, que começou em março. Foram 1.640 crianças infectadas, representando 56% de todos os 2.908 casos crianças até 12 anos. Entretanto, o Paraná registra apenas duas mortes de crianças.

O secretário estadual de Saúde, Beto Preto, acredita que o aumento de número de casos está relacionado à testagem em massa da população. Entretanto, ele aponta que a explosão de casos entre crianças pode estar relacionado à quebra do isolamento social das famílias. “O índice de isolamento domiciliar no estado está abaixo do necessário, então pode ser que nesta quebra de isolamento e com mais pessoas circulando os familiares possam estar levando este vírus para dentro de casa e infectando as crianças”, afirma.

LEIA MAIS – Paraná garante R$ 200 milhões para a compra de vacinas contra o coronavírus

Diante desse salto de casos entre crianças, a diretora de Atenção e Vigilância da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), Maria Goretti David Lopes, alerta a pais e responsáveis para que cuidem de si e de seus filhos. E enfatiza: assim como os adultos, se possível as crianças não devem sair de casa. “Esta doença pode ser transmitida para qualquer faixa etária, por isso pedimos para que aqueles que precisem sair usem máscara, mantenham as medidas de higiene para proteção de todos e, em especial, das crianças”, afirma.

Volta às aulas

Apesar do salto de infecções entre crianças, o governo do estado discute o retorno das aulas presenciais para setembro. A Secretaria Estadual de Ensino (Seed) quer que as aulas presenciais voltem em setembro, mas a data ainda será definida até o fim da semana que vem, com retorno regionalizado. “Quem estiver em condições favoráveis pode voltar antes e as regiões com quadro não muito positivo pode ser que as aulas demorem para retornar”, explica o diretor-geral da Seed, Gláucio Dias.

Todas as decisões do retorno às aulas presenciais estão sendo discutidas por um comitê especial do governo e vão seguir um protocolo específico. O documento é resultado de reuniões entre membros da Assembleia Legislativa, APP Sindicato, associação de municípios, além dos sindicatos das escolas particulares, Casa Civil e outras secretarias do estado.

VEJA MAIS – CRM-PR alerta curitibanos a reforçar prevenção da covid-19 nas próximas semanas

Entre as medidas adotadas e previstas no protocolo estão compras de equipamentos de proteção individual para professores, funcionários e alunos; regras de distanciamento em todos os espaços, principalmente nas áreas comuns; revezamento de aulas presenciais e aulas remotas a cada 15 dias, com divisão dos alunos em grupos; e volta gradual de acordo com a idade dos estudantes.

Avanço da covid-19 entre as crianças do Paraná

MARÇO – 5 casos (4 meninos e 1 menina) – 0,17%.

ABRIL – 42 casos (24 meninos e 18 meninas) – 1,44%.

MAIO – 189 casos (102 meninos e 87 meninas) – 1 morte (menino) – 6,50%.

JUNHO – 1.032 (603 meninos e 429 meninas) – 35,49%.

JULHO – 1.640 (848 meninos e 792 meninas) – 1 morte (menina) – 56,40%.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?