A ONG Onca e um grupo independente de proteção aos animais fizeram uma manifestação nesta quarta-feira (2), em Curitiba, contra a comercialização de bichos.

O voluntário da Onca, Lydvar Schulz, orienta a população a não comprar animais. “As pessoas não devem comprar animais por causa da superpopulação e porque o próprio comércio dos criadouros é cruel com eles (os animais)”, denuncia Schulz.

Segundo o voluntário da ONG, há animais que não são vendidos ou têm defeitos e estão doentes, e são descartados, doados e até jogados nas ruas. A orientação do voluntário é de posse responsável dos animais e que eles sejam doados por abrigos e entidades de proteção aos bichos.

A psicóloga e protetora independente de animais, Ana Ribas, também faz denúncias. “Em média 70% dos criadores de cães e gatos são de fundo de quintal, que não têm condições de atendimento veterinário e higiene. As matrizes dos filhotes postos à venda são maltratadas, porque os comerciantes só têm a intenção de ganhar dinheiro com isso. É muito comum as matrizes terem câncer de mama porque são colocadas para criar a cada cio”, diz Ana.

De acordo com a psicóloga, há filhotes de cães com apenas 30 dias que estão sendo comercializados sob a alegação de que têm 45 dias. “Eles são retirados da mãe na época da amamentação. É muito comum virem infestados de vermes e sem vacinação”, comenta a psicóloga.