Cerca de 90 manifestantes se concentraram em frente à prefeitura de Curitiba até as 20h de ontem (20) para protestar pela redução da tarifa do transporte coletivo. A estimativa é de que pelo menos 20 homens do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Guarda Municipal permaneceram em frente ao prédio para evitar depredações. O protesto teve início às 18h na Boca Maldita, no Centro.

Ao longo da passeata, alguns manifestantes entraram em uma das estações tubo da Avenida Cândido de Abreu, no Centro Cívico, para chamar a atenção da população. Um carro da Polícia Militar e pelo menos quatro da Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) faziam a escolta dos manifestantes.

Segundo membros do Coletivo Tarifa Zero e da Frente de Luta pelo Transporte, que organizaram o evento, a manifestação tem como objetivo alertar a população sobre a possibilidade de cobrança de um valor menor na passagem, o que foi apontado em um relatório do próprio TCE-PR em janeiro deste ano.

A maioria dos manifestantes é formada por estudantes e pessoas na faixa dos 20 anos. Alguns deles carregam faixas e distribuem panfletos para a população. O ato foi pacífico.

De acordo com Celso Monteiro, um dos membros do Coletivo Tarifa Zero que organizou o evento, a proposta do ato era justamente fazer uma caminhada com panfletagem para informar as pessoas sobre os rumos que o transporte coletivo está tomando na cidade.

“Sabíamos que iríamos ser recebidos por homens armados, mas deixamos o nosso recado para a população, como era nosso objetivo. Estamos satisfeitos por não ter registro de nenhuma violência física e por as pessoas terem aceitado nossos panfletos e aderido ao movimento ao longo do percurso”, afirma Monteiro.

Novo ato

Em frente à sede do Executivo municipal, os manifestantes decidiram por fazer um novo ato no próximo dia 26, quando deverá ser decidido o preço da tarifa de ônibus em Curitiba. A concentração está marcada para as 18h, na Boca Maldita.